Blog de notícias sobre o livro de Deborah Goldemberg, Editora Carlini & Caniato.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Notícias de Cuiabá

No Mato Grosso, O Fervo da Terra, anda agitando uma escola técnica em Cuiabá. Ramon Carlini (editor) andou por lá divulgando o livro e o Prof. Paulo Pimentel está trabalhando os temas em sala da aula. Abaixo, um e-mail que acabo de receber dele:

Oi Deborah,

Parabéns por seu livro. É fluido, suave, ao mesmo tempo profundo, questionador, inquietante. O melhor é que essa não é a leitura de um professor, mas sim dos alunos. Eles estranham o linguajar de Aké, incomodam-se por sua pseudo ingenuidade e pela crueldade do lugar, pela maldade da terra (da terra?). Tenho agora um prato cheio de possibilidades de discussão. É interessante nossa ignorância a respeito de nossas bases, nossa origem, nosso povo, nossa terra. O livro é o primeiro passo para uma consciência que está esquecida, ou que se quer esquecida. Partindo dele, podemos repensar nossa (s) identidade (S). E a culpa é sua (hehehe). Obrigado por este presente.

Passarei seus contatos para os alunos e pedirei a eles que escrevam. Ganhamos nós...

Um grande abraço e em breve espero te conhecer pessoalmente.

Paulo Pimentel

O Fervo do EGEL, RS

Ao lado dos colegas Italo Ogliari, Joselma Noal e o Professor Mauro Povoas, rolou um bate-papo literário com os alunos de Letras do Rio Grande do Sul, reunidos em Rio Grande (Univ. Federal) para seminários e muita festa!
É sempre um prazer especial divulgar o livro na terra de Seu Luis. O Prof. Povoas instigou-se pela "caboclização" do gaúcho que ocorre no livro, mas alertou que os gaúchos tradicionalistas talvez se incomodassem como desfecho amoroso da história (que ele adorou!).
Agradeço a Prof. Rubelise da Cunha e a equipe do EGEL, pelo convite e a calorosa recepção.